Por orientação família desiste de cremar corpo de ex-funcionário da prefeitura

11:12 |



24/05/2017 11:31:53



AMPLIAR FOTO
Familia havia anunciado que corpo de ex-funcionário da prefeitura seria cremado, mas desistiu


A família do ex-funcionário da prefeitura de São Roque, Carlos Lofredo, 51 anos, mais conhecido como Carlão, que também foi candidato a vereador na cidade, morto em uma ação da Polícia Civil contra ladrões de banco, ocorrido na cidade na madrugada desta terça-feira, 23, resolveu não fazer a cremação do corpo de Carlos.

Os familiares haviam divulgado na noite desta terça-feira, 23, antes do velório, que o corpo de Carlos seria cremado às 09h00 da manhã no Cemitério da Vila Alpina, em São Paulo.

Porém, durante a madrugada informaram que o corpo não seria mais cremado e sim enterrado no Cemitério do Araça às 15h00 desta quarta.

Os familiares teriam recebido uma orientação, não se sabe ainda se foi da Polícia Civil, para que o corpo fosse enterrado e não cremado.

Os familiares não deram detalhes sobre o assunto, muito menos se há a hipótese de uma futura possível exumação durante a sequencia da investigação.

A Polícia Civil de São Paulo informou em entrevista coletiva na sede da Seccional na tarde desta terça-feira, 23, que prossegue com a investigação sobre o caso.

O corpo de Carlos foi velado durante toda a madrugada desta quarta-feira, 24, no Velório Municipal de São Roque e encaminhado às 09h00 da manhã para o Cemitério do Araça em São Paulo onde será enterrado às 15h00.

Carlos foi morto por diversos tiros no momento em que passava com sua Van em frente à prefeitura de São Roque quando ocorria um assalto ao banco no Paço Municipal da cidade.

Segundo a família, ele estava seguindo para o trabalho.

Carlos passava no momento em que bandidos estavam fugindo do assalto. A Van passava pela via no sentido São Roque no meio do tiroteio da Polícia Civil.

Não se sabe ainda se ele acelerou com medo, porém, seu veículo foi crivado de balas.

Carlos levou vários tiros no peito e na cabeça.

A polícia conseguiu alcançar o outro veículo que seguiu sentido contrário, Raposo Tavares, onde havia assaltantes. Dois foram mortos na região do bairro Villaça na troca de tiros.

A polícia acredita que 10 bandidos participaram do assalto, e parte conseguiu fugir.

O ex-funcionário da prefeitura teria sido morto por engano quando passava pelo local, porém, a Polícia Civil investiga como Carlos apareceu no local.

Segundo os policiais, a Van avançou e não parou quando foram dados os primeiros disparos pelos investigadores contra o veículo dele.

Ainda segundo a polícia, a Van chegou a bater em uma viatura.

A rua em frente a prefeitura, no sentido ao centro de São Roque estava cercada por policiais a paisana com viaturas descaracterizadas, mas, com sinais luminosos instalados nos veículos.

Estavam no local dezenas de policiais civis de São Paulo e Sorocaba, equipes que comandaram ação. A Polícia Civil de São Roque estava junta, foi chamada durante a noite para o apoio.

Os policiais civis de São Paulo ficaram sabendo do ataque em São Roque e então montaram uma operação com 60 policiais para interceptar a quadrilha.

Após a troca de tiros, dois criminosos foram mortos e os demais fugiram levando pouco mais de R$ 34 mil.

A Polícia Civil informou que, no entanto, já identificou a quadrilha e prossegue com as investigações.

Fonte: da Redação

São Roque Notícias

0 comentários:

Postar um comentário