Olimpíadas dão fôlego aos 'atletas' do Enem

15:33 |






Competições melhoram conhecimentos e turbinam a preparação

MARIANA FABRÍCIO
mariana.fabrício@diariodepernambuco.com.br
Publicação: 13/05/2017 03:00

O desejo de aprender mais sobre as disciplinas trabalhadas todos os dias no colégio despertou no estudante do segundo ano do ensino médio João Felipe Marques, 16, o interesse em disputar olimpíadas de conhecimento. Competindo com seis mil alunos, ele conquistou uma das 600 medalhas da Olimpíada Pernambucana de Física do ano passado e tem três disputas nacionais e estaduais programadas para este ano. O esforço está dando resultado no cotidiano do estudante, que pretende agregar o que aprende ao Enem e vestibulares.

As disputas acontecem todos os anos nas áreas de exatas e humanas, reunindo escolas públicas e privadas. Para João Felipe, é uma oportunidade de se aprofundar em conceitos obrigatórios. “Procuro estudar como um intensivo. Normalmente os editais têm assuntos que a gente vai ver no ano seguinte e isso permite se preparar melhor e de forma mais específica”, destaca. No Colégio Boa Viagem, onde ele estuda, os professores dedicam de uma a duas horas semanais para repassar dicas e tirar dúvidas na preparação de cada fase das olimpíadas de matemática, biologia, química, física e história. “É um reforço que contribui para que o jovem valorize cada disciplina individualmente e as enxergue de modo contextualizado, considerando características da sociedade, por exemplo. A dinâmica de uma olimpíada reinventa aquilo que trabalhamos em sala”, diz o professor de história do Colégio Boa Viagem (CBV), Edson Rocha.

A Olimpíada Nacional em História do Brasil está entre as principais do país e já reúne 42 mil estudantes em sua nona edição. Ela é uma das poucas na área de ciências humanas que vêm aumentando o número de interessados. Somente em Pernambuco são quase 400 alunos de escolas públicas e privadas competindo entre si. A disputa tem cinco fases online, que permitem debates e consultas com professores. A final acontecerá na Unicamp, em Campinas (SP). “Alguns pontos trabalhados podem contribuir bastante para o Enem. Estudamos sobre as revoluções que aconteceram no Brasil na época do Império, por exemplo”, afirma João Felipe, que pretende cursar ciências políticas e seguir carreira diplomática.

Outro destaque nas seletivas nacionais é a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), que neste ano será unificada com instituições particulares. A 13ª edição teve 51 mil inscritos. As fases das provas vão de acordo com cada nível de escolaridade, que vai do sexto ano do ensino fundamental ao terceiro ano do ensino médio. 

Calendário

Olimpíada Nacional em História do Brasil
  • Acontece em cinco fases online. Os finalistas participarão da fase final na Unicamp, em 19 e 20 de agosto.
  • Inscrições: 27/03 a 29/04
  • Valores por equipe: R$ 45 (escolas públicas) e R$ 90 (particulares)
  • Regulamento e inscrições: www.olimpiadadehistoria.com.br
Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep)
  • A 1ª fase acontece no dia 6 de junho, e a 2ª fase (fase final), em 16 de setembro.
  • Neste ano a premiação será dada a alunos de escolas públicas e privadas que entraram na competição.
  • Regulamento: www.obmep.org.br

0 comentários:

Postar um comentário