Justiça revoga prisão de parte de 44 presos em audiência em Mairinque

07:59 |


11/05/2017 15:49:30 - Atualizado em: 12/05/2017 09:30:03



AMPLIAR FOTO


AMPLIAR FOTO


AMPLIAR FOTO


AMPLIAR FOTO


AMPLIAR FOTO


AMPLIAR FOTO


AMPLIAR FOTO


AMPLIAR FOTO


AMPLIAR FOTO


AMPLIAR FOTO



A Justiça de Mairinque realizou sob forte esquema de segurança, a audiência de 43 presos e mais 1 homem que estava foragido que se apresentou espontaneamente nesta quinta-feira, 11, no Fórum da cidade.

A Justiça começou os trabalhos por volta das 09h00 e finalizou por volta das 17h00.

Para o procedimento, todas as ruas em volta ao Fórum foram fechadas.

A Polícia Militar fez a segurança e o efetivo da cidade recebeu o reforço do Batalhão de Itu, Sorocaba e Votorantim. A GCM de Mairinque e setor de Trânsito também participaram do apoio.

Uma unidade escolar que fica em frente ao prédio, teve as aulas suspensas. O prédio da Câmara de Mairinque, que fica anexo ao Fórum, também não teve expediente ao público.

Os presos chegaram escoltados por policiais militares dentro de viaturas da Secretaria Administração Penitenciaria (SAP) do Estado de São Paulo.

Eles desceram em frente ao Fórum e entraram no prédio para a audiência. Entre eles, também havia mulheres.

De acordo com a Justiça, entre os 43 detentos, estão suspeitos de fazerem parte de uma quadrilha que age dentro e fora dos presídios no Estado.

Eles foram presos numa operação de combate ao tráfico de drogas em várias cidades da região e na Grande São Paulo em 2015.

O processo é extenso e cheio de detalhes. Alguns presos são de Mairinque, da região, de outras cidades do interior e da capital.

Durante a audiência, 10 pessoas foram excluídas do processo devido ao tempo de prisão que tiveram.

Os outros 33 tiveram a prisão preventiva revogada, com progressão para o regime aberto.

Conforme a sentença, eles devem cumprir o restante da pena, cerca de um ano e meio, em liberdade.

Ao todo, nove pessoas vão permanecer presas porque possuem condenação em outros processos.


Outros 23 acusados, que são réus primários, serão libertados, de acordo com o Tribunal de Justiça.

A decisão saiu baseada em um acordo entre a promotoria do Ministério Público e a defesa dos réus, que assinaram um termo de confissão.

Cada caso vai ser analisado para a soltura.

De acordo com o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, eles têm ligação com uma organização criminosa.


No entanto, a maior parte do grupo, que tem cinco mulheres, foi presa durante uma operação policial em outubro de 2014, em Mairinque e outras cidades do estado.

Durante a audiência, 11 testemunhas de acusação foram ouvidas.

Ao fim do julgamento, parentes esperaram para ver os presos, que foram levados para os presídios de origem e deverão ser liberados de acordo com a pena recebida.

Fonte: da Redação

São Roque Notícias

0 comentários:

Postar um comentário