Estado se esforça para o “Trem Intercidades” entre São Paulo e Interior

11:00 |




29/05/2017 10:06:47 - Atualizado em: 29/05/2017 11:50:21



AMPLIAR FOTO
Trem Intercidades vai interligar São Paulo ao interior, baixada santista e vale do paraíba


AMPLIAR FOTO


AMPLIAR FOTO


A implantação do trem Intercidades continua sendo discutido fortemente pelo Governo do Estado de São Paulo.
Projeto conta com dois trajetos

O primeiro ligará a capital a Campinas, Americana, Jundiaí, Santo André, São Bernardo, São Caetano e Santos.

O segundo fará a ligação de São Paulo com Sorocaba, São Roque, São José dos Campos, Taubaté e Pindamonhangaba.

Na semana passada, o secretário Estadual dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, esteve em Campinas para fazer uma apresentação detalhada do projeto de implantação do Trem Intercidades.

No dia 28 de março, em Brasília, o presidente Michel Temer (PMDB) garantiu a inclusão do Intercidades no programa de concessões da União.

O governo federal, que controla a malha férrea no trecho, fará a concessão do domínio, ao governo de São Paulo, de linhas que hoje servem exclusivamente ao transporte de cargas.

Ao todo, o projeto incluindo as regiões citadas, mostra que o Trem Intercidades (TIC) percorrerá 431 quilômetros de ferrovia, tendo a região de Campinas interligada a São Paulo e outros ramais do Vale do Paraíba e Baixada Santista e região de Sorocaba interligada a São Paulo.

O investimento previsto é de R$ 20 bilhões e o objetivo é conectar os polos da Macrometrópole em menos de 1 hora.

O trecho de 135 quilômetros entre Americana e São Paulo, que tem custo estimado em 5 bilhões deve ser o primeiro a ser implantado devido a demanda estimada que hoje é que 60 mil pessoas por dia utilizando esse transporte.

Para o secretário de Transporte do estado o Trem Intercidades vai sair. “Não há mais chances de ampliar as rodovias. A ideia é que o projeto esteja pronto até o final do ano e viabilizando esse trecho poderemos ampliar para outros municípios”.

Segundo Pelissioni, o projeto também fomentará o turismo e será importante para quem deseja estudar ou trabalhar em São Paulo e morar no interior.

Ainda segundo ele, as regiões metropolitanas de Campinas, São Paulo, Santos e São José dos Campos, somada à cidade de Sorocaba respondem por 53% da frota estadual de veículos e 63% de toda a população do Estado de São Paulo.

Apesar de o projeto estar avançado, explica o Secretário, viabilizar sua implantação depende da necessidade de recursos financeiros, o que atualmente esbarra no momento de crise econômica do país.

“Já foram feitas reuniões em nível federal, mas o projeto depende fortemente da economia. Está prevista a realização de uma PPP (Parceria Público/Privada), e inclusive várias manifestações de empresas internacionais, interessadas no projeto”, comentou.

O trem faz parte do PPI (Programa de Parceria de Investimentos), onde o poder público e iniciativa privada passam a integrar um consórcio para administração do sistema ferroviário. A empresa que explora o transporte de cargas e o Estado, no caso, vão compartilhar as mesmas linhas férreas.

O apoio da União é estratégico: as empresas interessadas em gerenciar o Intercidades irão contar com linhas de financiamento do BNDES, e poderão investir com segurança.

São Roque

Dentro do projeto, São Roque aparece como uma das cidades que terá uma estação, assim há previsão da construção de uma nova estação para uma das paradas do trem, e seria implantada em um novo lugar do município.

A cidade está no trecho Sorocaba e deve ter um traçado muito parecido com o da antiga estrada de ferro de São Roque, que vem por Mairinque e segue pela Vila Amaral.

A princípio, o primeiro trajeto estudado até o momento, teria uma novidade, a construção de uma nova estação e a rota seria desviada para outro sentido, atravessaria a região do Jardim Villaça, bem próximo ao novo contorno da Raposo Tares, próximo da Igreja de São Luiz Gonzaga no bairro.

O traçado ainda está no papel, mas, passaria paralelo a Raposo, fazendo o cruzamento no Jardim Villaça, a partir daí seguindo sentido São Paulo passando por Mailasque.

Alckmin esteve em Nova York para “vender” o projeto

Recentemente o governador Geraldo Alckmin (PSDB) esteve em Nova York para “vender” a investidores pacote de projetos de PPPs, dentre eles o trem que vai interligar o Vale do Paraíba a outras regiões de São Paulo.

O governo ampliou os esforços para tentar destravar o Trem projeto ferroviário que vai interligar as regiões metropolitanas de Campinas, São Paulo, Vale do Paraíba, Sorocaba e Baixada Santista.

O trem constava na lista destinada a grupos empresariais com fôlego financeiro.

Atrasado quatro anos, o trem será viabilizado por meio de uma PPP (Parceria Público-Privada). A duração do contrato de concessão será de 30 anos.

Os estudos indicam a oportunidade da construção e da implantação de dois sistemas ferroviários. Um norte-sul, saindo da cidade de Americana, passando por Campinas, Jundiaí, São Paulo, ABC, Cubatão e Santos. E uma linha oeste-leste, saindo de Sorocaba, São Roque, Barueri, São Paulo e indo em direção a Guarulhos, São José dos Campos e Taubaté.

A tarifa para passageiros ficará um pouquinho acima do preço dos ônibus intermunicipais, talvez 10% a mais.

Projeto foi anunciado pelo governo há mais de 4 anos, mas segue na estaca zero

A implantação do Trem Expresso Metropolitano na região foi anunciada pelo governo do Estado em novembro de 2012. Quatro anos depois, entretanto, o projeto ainda está emperrado. A entrega deveria ocorrer em 2016.

Depois de obter a liberação das linhas férreas para o trecho entre São Paulo e Americana, o principal entrave passa a ser financeiro.

No pacote levado por Alckmin aos Estados Unidos constavam 20 projetos entre editais lançados, em preparação e estudos que somam um potencial de gerar R$ 45 bilhões em investimentos. Dentre eles, estava o trem intercidades.

As configurações do trem devem ser europeias. Em quatro vagões, serão transportados de 320 a 400 passageiros.

A expectativa é ter o projeto do trem intercidades pronto até início de 2018, mas não há previsão para início das obras.
.

Fonte: da Redação

São Roque Notícias

0 comentários:

Postar um comentário