Centro POP e CAPS AD se unem no resgate de pessoas em situação de rua

10:51 |





O mapeamento da Secretaria de Desenvolvimento Social, através do Centro de Referência Especializado para a População em Situação de Rua (Centro Pop), mostra que quase 90% das pessoas que vivem em situação de rua, em Cotia, fazem uso de álcool e/ou outras drogas. O número alarmante apontou para a necessidade de uma ação conjunta com a Secretaria da Saúde para aumentar a efetividade das ações de auxílio a este público.
A parceria se formalizou nesta gestão e, segundo Rejane Teixeira Prestes, coordenadora técnica do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD), vai ao encontro do que é preconizado pela Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) que recomenda o trabalho com a rede do município. Ela salienta, no entanto, que nenhuma ação é coercitiva. "Trabalhamos com uma demanda espontânea e de livre acesso. Buscamos criar vínculo com esses pacientes e usar o poder do convencimento para o início do tratamento", explicou.
Segundo Rejane, se o paciente quiser ser internado para tratamento, a Prefeitura o direciona para a Comunidade Terapêutica Sagrada Família, com a qual tem convênio.
Por meio da parceria entre Centro POP e CAPS AD, a Prefeitura quer qualificar as ações realizadas nas ruas, seguindo assim as recomendações do prefeito Rogério Franco. "Diariamente, percorremos os bairros para conversar com estas pessoas e falar do Centro POP, mas quando estamos com um profissional do CAPS AD fortalecemos a ação e ele pode falar com mais propriedade das possibilidades de tratamento", disse Carolina Tanholi de Freitas, Agente Social do Centro POP.
No momento, o CAPS AD atende, semanalmente, dois pacientes em situação de rua. "Alguns pacientes passam pelo CAPS AD quando estão em situação de fragilidade. Ora procuram por orientações, ora por alimentação", disse Rejane, segundo quem a falta de adesão ao tratamento é a ausência de apego afetivo, material, simbólico, intolerância a locais fechados, entre outros.
O Secretário de Saúde, Magno Sauter, ressaltou a importância da parceria entre as secretarias da Saúde e Desenvolvimento Social. "O CAPS é um serviço de saúde apoiador dos usuários e famílias na busca de independência e responsabilidade durante o tratamento. Os serviços  ultrapassam a própria estrutura física em busca da rede de suporte social para que se possa garantir o sucesso de suas ações, preocupando-se com a pessoa, sua história, sua cultura e sua vida cotidiana", disse.


Buscas sociais
O acesso ao Centro POP se dá voluntariamente ou através de busca ativa pelas ruas da cidade para tentar identificar e orientar pessoas em situação de rua. As buscas acontecem de segunda a quinta-feira, mas todas as segundas-feiras contam com a participação do CAPS AD. E foi no intuito de estabelecer vínculo e convencimento com pessoas em situação de rua que a equipe seguiu para um ponto às margens da rodovia Raposo Tavares, na altura do km 26, onde vive um casal há mais de dois anos. Apesar dos esforços e das visitas, especialmente do Centro POP, o casal reluta em deixar a rua.
"Fizemos um trabalho com a Secretaria de Habitação, conseguimos uma unidade habitacional pelo Minha Casa Minha Vida para eles. Ficaram lá um tempo, mas retornaram para a rua depois de conflitos familiares que envolvem álcool", disse Carolina Tanholi de Freitas, do Centro POP, ao destacar que o trabalho da Administração Municipal envolve muito mais do que alimentar e vestir pessoas que permanecem nas ruas.
Em uma das visitas o casal não foi encontrado, possivelmente porque estava trabalhando. "Por incrível que pareça, eles trabalham. Ele faz alguns serviços manuais, ela faz serviço de diarista", disse Mayara Orlandi, assistente social do Centro POP.
A equipe também esteve na UPA do Atalaia. No local, um senhor, identificado como Severino reconheceu as funcionárias do Centro POP que estavam acompanhadas por Bruno Gomide Rabechini, educador físico do CAPS AD.
Segundo Mayara, Severino tem problemas com álcool e está resistente em comparecer ao Centro POP para receber orientações e ser encaminhado para tratamento. "Aos poucos vamos conversando com ele na expectativa de que aceite nossa orientação, como muitos já o fizeram", disse Mayara.
O Centro Pop fica na Rua Monsenhor Ladeira, 43, Vila São Francisco de Assis e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. O local desenvolve trabalhos sociais direcionados à busca da reconstrução de vínculos pessoais e familiares, resgate da cidadania e reinserção social por meio de atendimento individual por psicóloga e assistente social, para que ocorra a saída gradativa das ruas.
Para estimular o alcance da autonomia são realizadas diariamente atividades em grupo conduzidas por agentes sociais e monitores, auxílio na emissão de documentos pessoais, encaminhamentos para a rede socioassistencial e políticas públicas de saúde. Além deste atendimento técnico e acompanhamento individual, a unidade oferece a estas pessoas alimentação, espaço para higiene e lavagem de roupas. Outras informações pelo telefone 4616-3632.




-- 
Comunicação Social - Assessoria de Imprensa 
Prefeitura de Cotia
Fone: 4148-8607

0 comentários:

Postar um comentário