Sem merendeira, escolas servem bolacha para alunos

16:41 |



31/03/2017



William Cardoso
do Agora
Escolas da capital chegam agora ao fim do primeiro bimestre do ano letivo, ainda sofrendo com a falta de merendeiras.
Por causa disso, crianças matriculadas na rede estadual, sob responsabilidade da gestão de Geraldo Alckmin (PSDB), são obrigadas a comer bolacha e tomar suco no lugar das refeições completas, preparadas pelas cozinheiras das unidades.
Ao menos cinco escolas da zona leste trocaram o arroz com feijão pela "merenda seca", composta basicamente por alimentos de baixo valor nutricional, como são os casos das bolachinhas e dos sucos de caixinha.
  • Leia esta reportagem completa na edição impressa do Agora, nas bancas nesta sexta, 31 de março, nas bancas
Resposta
A Secretaria Estadual da Educação, sob a gestão de Geraldo Alckmin (PSDB), diz que, durante o pregão, houve o pedido de recurso por parte de uma das empresas, o que prolongou o processo.
Após seguir os trâmites legais, a empresa vencedora e responsável pelo preparo da merenda nas cinco escolas iniciará o serviço na próxima semana e os alunos receberão, até lá, "alimentos que não necessitam do cozimento".
Sobre a Escola Professora Adelaide Ferraz de Oliveira, a unidade recebeu apenas no mês de março R$ 1.312,00 verba destinada à compra de frutas e verduras. Um supervisor foi encaminhado à unidade.

0 comentários:

Postar um comentário