Testemunhas são liberadas e audiência de Mairinque sobre caso dos falsos médicos continua em agosto

16:37 |

07/03/2017 às 17h07min - Atualizada em 07/03/2017 às 17h07min




Os réus e sócios proprietários da Inovaa Dr Pedro Renato Guazelli e Dr Tarquinio Lúcio Alves de Lima serão ouvidos após todas as testemunhas de defesa e acusação



Rafael Barbosa - Jornal da Economia
Rafael Barbosa
Encerrou-se a audiência de instrução, debate e julgamento sobre o caso dos "Falsos Médicos", ocorrida no Fórum de Mairinque, na tarde desta terça-feira (07) e a próxima audiência sobre o caso deve ocorrer em agosto. Das quatro testemunhas encarregadas de serem ouvidas hoje, apenas duas prestaram depoimento para a juíza Carla Carlini Catuzzo e o promotor encarregado do caso Joaquim Portela Dias do Nascimento Neto, sendo uma de defesa e outra de acusação.
Segundo o advogado Marcos Penteado Ulhôa, que representa Lee Boris Flores Orellana, acusado de envolvimento na contratação de falsos médicos, as demais testemunhas foram liberadas pois a polícia ainda não havia conseguido degravar (transferir para o papel o texto das gravações)  os arquivos de escuta telefônica realizadas durante a investigação e, deste modo, o Ministério Público adiou as audiências dos demais até a preparação das provas. O advogado afirma que seu cliente é inocente e que foi acusado devido a uma confusão de nomes, pois ele não teria ligação com os outros réus ligados ao caso. “Tenho certeza que, ao final do processo, iremos provar a inocência dele”, afirmou.
Pedro Renato Guazzeli e os outos réus do caso somente prestarão depoimento após todas as testemunhas  
A maioria dos réus ligados ao caso compareceu ao Fórum de Mairinque, entretanto estes somente serão ouvidos após todas as testemunhas serem realizarem seus depoimentos. Segundo o advogado Davi Ferrari Junior, que representa o médico Pedro Renato Guazelli, proprietário da empresa que contratou os médicos falsos (Innovaa) e acusado de gerenciar um esquema de contratação de falsos médicos juntamente com seu sócio, Tarquínio Lúcio Alves de Lima, a audiência das novas testemunhas de acusação ligadas ao caso estão marcadas para o dia 1 de agosto.
Segundo o advogado, o processo deve se estender até 2018, já que as testemunhas de defesa devem ser ouvidas apenas no fim de 2017 e os réus do caso, como Pedro Renato, somente prestarão depoimento após todas as testemunhas serem ouvidas. Questionado sobre o caso, Davi reafirmou que seu cliente é inocente e que foi vítima de um golpe midiático, já que não existem provas contundentes de que Pedro Renato Guazelli e seu sócio Tarquínio Lúcio Alves de Lima soubessem que estavam contratando falsos médicos. “Os donos da Innovaa (Pedro Renato e Tarquinio Lucio) foram vítimas de uma situação midiática causada pela acusação e pela polícia na época”, afirmou o advogado, ao apontar a falta de provas da promotoria sobre o caso.
Vale lembrar que as testemunhas ouvidas pela justiça mairinquense são relativas apenas a moradores de Mairinque e Alumínio. Testemunhas ligadas ao caso, mas que sejam moradoras de outra cidades, como São Roque, Araçariguama e Sorocaba serão ouvidas pelas suas respectivas comarcas.

0 comentários:

Postar um comentário