Estado afirma que carne da merenda pode ser consumida

12:35 |



21/03/2017


Tatiana Cavalcanti e Janaína Ribeiro
do Agora
Depois de emitir um comunicado dizendo que o consumo de carne nas merendas de escolas da rede estadual seria suspenso por 20 dias, a Secretaria de Estado da Educação, sob gestão Geraldo Alckmin (PSDB), voltou atrás e aprovou ontem o uso na refeição de alunos.
A circular foi emitida na sexta-feira passada pelo diretor do Departamento de Alimentação e Assistência ao Aluno, Roberto Liberato, após as suspeitas de fraudes investigadas na Operação Carne Fraca, da Polícia Federal.
O documento orientava as escolas substituir os oito alimentos variados da carne com o que tivesse "disponível em estoque", como sardinha e atum enlatados, ovos e carne suína.
O governo estadual voltou atrás após, segundo nota emitida no início da noite de ontem, "criteriosa análise de todos os laudos emitidos pelos órgãos fiscalizadores", que "concluíram não haver risco em manter o consumo de carne durante as refeições escolares servidas".
A secretaria diz que, apenas por precaução, fará novos testes na carne servida nas 3.200 escolas onde a distribuição é feita pela pasta.
A suspensão temporária decorreu do "excesso de zelo", diz nota.
  • Leia esta reportagem completa na edição impressa do Agora, nas bancas nesta terça, 21 de março, nas bancas

0 comentários:

Postar um comentário