96% das escolas estão no padrão desejável

15:35 |



A Capital teve o melhor resultado no Spaece. O número de escolas com o desempenho cresceu 875% desde 2012



Depois de anos, figurando no ranking com o a pior educação do Ceará, Fortaleza apresenta melhora na proficiência de alfabetização, português e matemática do 5º e 9º ano ( Foto: Daniel Aragão )
00:00 · 24.02.2017 por Karine Zaranza - Repórter
Clique para ampliar
O menino Kairon Feitosa ainda está no 1º ano do Ensino Fundamental e já une letras e palavras. Ele faz parte de uma nova leva de estudantes da rede municipal de ensino que está conseguindo ler e escrever na idade certa. Para provar que os resultados de desempenho da alfabetização subiram, o pequeno foi escolhido para ler uma poesia para um auditório cheio de professores e diretores durante a apresentação dos dados preliminares do Sistema de Avaliação Permanente da Educação Básica do Estado do Ceará (Spaece).
Fortaleza chegou ao melhor resultado de desempenho no sistema de avaliação estadual desde 2012. Há quatro anos, eram apenas 20 escolas municipais com nível desejável de alfabetização. Em 2016, são 195, das 203 unidades avaliadas, que estão ensinando as crianças a ler e escrever na idade certa, o que representa 96%. O crescimento desses quatro anos foi de 875%.
O resultado foi comemorado pelo prefeito Roberto Claudio, que reforçou a conquista como sendo resultado de vários atores e ações. Ele ressaltou que, além da ampliação do número de escolas, o nível subiu. Passou de 131,4 pontos para 180,4 em proficiência alfa no mesmo período.
"Nós implantamos o mérito na gestão escolares, ampliamos em quase 80% as matrículas de creche e estamos perto de universalizar as matrículas de pré-escola, implantamos o tempo integral, fizemos concurso público para professor, garantimos o piso do magistério e avaliação. Tudo isso ajudou para que tivéssemos uma profunda transformação da rede. Depois de anos, sendo a pior educação do Ceará, esses quatro anos construiram um legado de transformações importantes na rede", elencou o gestor municipal.
Português e matemática
Além do 2º ano, houve também melhora no desempenho da proficiência de Português e Matemática do 5º e 9º ano. Na Língua Portuguesa, a proficiência dos estudantes do 5º ano saiu de 199,4 pontos, em 2012, para 212,6 atingindo a média estadual em 2016. No 9º ano, o salto foi ainda mais expressivo. Saiu de 246,4 para 257,6 pontos.
Em matemática, um dos maiores desafios do Estado, a Capital também registrou melhora. O 5º ano passou 204,2 para 220,5 pontos de proficiência. Já o 9º ano registrou 251,6 pontos de competência diante do 247,3 do resultado de há quatro anos. A secretária municipal de Educação, Dalila Saldanha, informou que os resultados podem ser ainda melhores e que escolas estão sendo reavaliadas. O resultado consolidado será anunciado em maio pela Secretaria de Educação do Estado (Seduc).
Dalila Saldanha disse que está reforçando a formação do professor e do material didático. "Estamos estabelecendo metas de crescimento por escola de crescer 3 pontos no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica)", planeja a titular da SME. Roberto Cláudio prometeu que o dever de casa agora é garantir a universalização da pré-escola e alfabetização e reforçar os esforços progressivos ao 5º e 9º ano. "O tempo integral, que está sendo ampliado para o 6º ao 9º ano, vai nos ajudar bastante", explicou.

0 comentários:

Postar um comentário