5 grandes impérios antigos fáceis de visitar

14:40 |

21 de março de 2017



Um dos aspectos que eu acho mais fantásticos em viagens é a possibilidade de visitar lugares que um dia foram centros de grandes impérios da humanidade. E não precisa nem ter prédios e ruínas maravilhosas para se ver, não. O simples fato de saber que aquele lugar foi o coração de uma região importante na história já me vale para ir até ele.
Foto: iStock/tunart
Taj Mahal, na Índia: ele é uma relíquia de um grande império (foto: iStock/tunart)
Possivelmente o Império Romano seja o mais famoso entre nós, seguido talvez pelo Império Otomano e o Império Mongol, não sei ao certo. Mas a história é repleta deles e uma infinidade de reinos poderosos surgiu e morreu em lugares que nem imaginamos e para onde é bem fácil de ir.
Selecionei alguns aqui neste post. Se você é como eu e ama pisar em terras onde grandes eventos aconteceram, pode começar a planejar sua próxima viagem com eles.
Primeiro Império Persa (559 a.C – 320 a.C.)
Onde ver: Pasárgada e Persépolis, Irã
Ruínas de Pasárgada, antiga capital do Primeiro Império Persa (foto: @gabebritto)
Ruínas de Pasárgada, antiga capital do Primeiro Império Persa (foto: @gabebritto)
Primeiro Império Persa: o maior até então (arte: Ali Zifan - CC BY-SA 4.0)
Primeiro Império Persa: o maior até então (arte: Ali Zifan – CC BY-SA 4.0)
Também conhecido como Império Aquemênida, ele foi o maior que o mundo havia visto até a sua época, cobrindo desde a Índia até a Líbia, incluindo uma parte da Europa.
Seu grande líder foi Ciro, cuja tumba está em pé até hoje em Pasárgada, no Irã. Mas se você quiser ver algo impressionante mesmo, vá para Persépolis, a capital construída depois de Pasárgada, a poucas dezenas de quilômetros de distância uma da outra. A visão de tudo aquilo e a consciência dos eventos que aconteceram ali fazem você chorar de emoção.
A tumba de Ciro, em Pasárgada (foto: @gabebritto)
A tumba de Ciro, em Pasárgada (foto: @gabebritto)
Pequena parte das ruínas de Persépolis (foto: gabebritto)
Pequena parte das ruínas de Persépolis (foto: @gabebritto)
Para chegar em ambas, o ideal é ficar hospedado na cidade de Shiraz.
Império de Alexandre, o Grande (336 a.C – 323 a.C.)
Onde ver: Pella, Grécia
Tudo isso foi de Alexandre (arte: Wikipédia - CC BY-SA 3.0)
Tudo isso foi de Alexandre (arte: Wikipédia – CC BY-SA 3.0)
Alexandre, em um mosaico no Museu Arqueológico de Nápoles (foto: Wikipédia - Domínio público)
Alexandre, em um mosaico no Museu Arqueológico de Nápoles (foto: Wikipédia – Domínio público)
Quem tem interesse pelo Império Persa/Aquemênida certamente vai adorar conhecer atrações do Império de Alexandre, o Grande, porque as histórias de ambos são muito ligadas.
Alexandre foi quem derrotou os persas e deu fim ao seu domínio, mas também tinha uma admiração enorme pelos seus líderes que conquistaram tanto antes dele. Além disso, Alexandre é considerado o responsável pela destruição de Persépolis, mas não se sabe se de forma proposital ou acidental, durante suas comemorações pela conquista que ele queria tanto.
Grécia e a República da Macedônia têm várias atrações ligadas a Alexandre, mas para ver o que um dia foi uma cidade importantíssima no seu império, vá para Pella, na Grécia, perto de Tessalônica.
Foi ali que aconteceu o evento mais importante do reino: o nascimento de Alexandre.
Império Khmer
Onde ver: Siem Reap, Camboja
Angkor, o cartão-postal do Camboja e de Siem Reap (foto: iStock/f9photos)
Angkor, o cartão-postal do Camboja e de Siem Reap (foto: iStock/f9photos)
Em vermelho, o Império Khmer (arte: Javierfv1212 - Domínio público)
Em vermelho, o Império Khmer (arte: Javierfv1212 – Domínio público)
Este império desconhecido de muitas pessoas também é um dos mais incríveis e e fáceis de você visitar.
Ele existiu entre os séculos 9 e 15, chegou a ter 4 milhões de habitantes e cobriu o Camboja e o Laos inteiros, além de partes grandes da Tailândia, do Vietnã e de Mianmar. Depois da sua queda, suas principais cidades ficaram praticamente abandonadas e completamente desconhecidas do mundo ocidental, até serem redescobertas e virarem objeto de desejo de historiadores, arqueólogos e, mais tarde, de turistas.
Você pode ver templos do Império Khmer em muitos lugares da região, principalmente no Camboja e no Laos, mas o lugar certo para sentir o clima histórico é a pequena Siem Reap, no Camboja – que foi tema de post neste blog (clique no nome dela ali para ler).
Império Mogol (1526 – 1857)
Onde ver: em vários lugares da Índia e do Paquistão
Forte Lahore, no Paquistão, uma das maravilhas dos mogois (foto: Rohaan Bhatti - CC BY-SA 3.0)
Forte Lahore, no Paquistão, uma das maravilhas dos mogois (foto: Rohaan Bhatti – CC BY-SA 3.0)
Os limites máximos do Império Mogol (arte: Gabagool - CC BY 3.0)
Os limites máximos do Império Mogol (arte: Gabagool – CC BY 3.0)
Sim, o nome é Mogol mesmo, não confunda com Mongol.
Ele foi criado por um descendente de Gêngis Khan, dominou praticamente a Índia inteira e ainda o Paquistão, Bangladesh e o Afeganistão e durou até ser derrotado por outro império bem mais conhecido de todos nós: o Império Britânico.
Justamente por ser tão recente e por ter poder sobre quase toda a Índia, as relíquias dos mogois ainda estão em pé e podem ser facilmente visitadas pelos turistas fãs de história e arquitetura. E sabe qual é a maior delas? O mundialmente famoso Taj Mahal, construído por um imperador mogol e considerado o maior exemplo da arquitetura da época.
Foto: iStock/Peter Zelei
Foto: iStock/Peter Zelei
(E seu quiser ver mais atrações da Índia, clique no link.)
Império Etíope
Onde ver: em toda a Etiópia
Foto: iStock/Bartosz Hadyniak
Foto: iStock/Bartosz Hadyniak
Foto: iStock/Dmitry Chulov
Lalibela (foto: iStock/Dmitry Chulov)
Com o conhecimento recente que temos da Etiópia, é difícil pensar que o país já foi um império, mas ele foi, sim, e durou firme e forte entre os séculos 13 e 20, acabando apenas em 1974 – sem invasão, mas com um golpe de estado.
É verdade que o Império Etíope não foi um destes que conquistam territórios gigantescos em guerras com seus vizinhos e com governantes de outros impérios, mas ainda assim ele tem um feito magnífico no seu currículo: com exceção de 6 anos em que foi dominado pelo Império Italiano, ele foi o único país da África a permanecer independente durante a época do colonialismo europeu no continente, no século 19.
Ou seja: não ganhou territórios, mas manteve o seu enquanto seus vizinhos caíam e botou para correr o único invasor que conseguiu alguma coisa.
Um excelente motivo para ser respeitado e visitado.

0 comentários:

Postar um comentário