Loalwa, do grupo Kaoma, foi assassinada por um funcionário de sua pousada

16:05 |

Geral

20/01/2017


Foto: Carro carbonizado onde foi encontrado o corpo da vocalista do Kaoma, Loalwa Vieira.
O funcionário da pousada de Loalwa Braz Vieira "não demonstrou nenhum tipo de arrependimento" ao confessar participação na morte da cantora de "Chorando se foi", de acordo com o delegado Leonardo Macharet, titular da 124ª Delegacia de Polícia.
Ainda segundo o delegado, a conduta dele foi "incompatível com a natureza humana".
A cantora do grupo do Kaoma foi encontrada carbonizada dentro de um carro na localidade de Saquarema, na Região dos Lagos do Rio na quinta-feira (19).
Três suspeitos de envolvimento na morte foram presos e autuados pelo crime de latrocínio, cuja pena máxima é de 30 anos.
"O comportamento dele foi um comportamento incompatível, realmente, com a natureza humana. Uma pessoa que não demonstrou nenhum tipo de arrependimento pela prática de um crime tão bárbaro. Ele viu que não teria solução, ele não teria como sustentar aquela versão, e isso possibilitou o encerramento do caso", disse o delegado Leonardo Macharet. Segundo o delegado, a motivação do crime foi patrimonial.
A família de Loalwa foi à Delegacia, e um irmão da vítima prestou depoimento. Ele disse, segundo o delegado titular da 124ª DP, que Loalwa já tinha a intenção de dispensar o caseiro por não estar satisfeita com os serviços prestados.

0 comentários:

Postar um comentário