Considerado quase como um porta-voz da família após a morte de Teori Zavascki, em acidente aéreo na região de Paraty, no Rio de Janeiro, o filho do ministro do Supremo Tribunal Federal, Francisco Zavascki, foi quem confirmou a tragédia por postagem em rede social. Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, o advogado Francisco Zavascki lamentou a morte do pai, e voltou a relatar as ameaças sofridas ao longo das investigações da Operação Lava Jato.
Em maio do ano passado, Francisco havia publicado no Facebook que se algo acontecesse com alguém de sua família, as pessoas já saberiam onde procurar. "É óbvio que há movimentos dos mais variados tipos para frear a Lava Jato. Penso que é até infantil que não há, isto é, que criminosos do pior tipo (conforme MPF afirma) simplesmente resolveram se submeter à lei! Acredito que a Lei e as instituições vão vencer. Porém, alerto: se algo acontecer com alguém da minha família, vocês já sabem onde procurar...! Fica o recado!", escreveu.
À Jovem Pan, Francisco Zavascki declarou ainda que, pelos interesses envolvidos, havia o medo de que isso pudesse tomar medidas mais graves. “Aquilo foi uma representação de um medo nosso muito presente. Não quero dizer que foi sabotagem. Agora é importante investigar muito a fundo”, declarou.
O filho do magistrado disse ainda acreditar mais em fatos que em teorias, em resposta às diversas especulações relacionadas à morte de seu pai. “Confio nas instituições, na Polícia Federal e no Ministério Público, que investigam, e a imprensa não vai deixar qualquer fato ser obscurecido”, disse. “Não deu tempo de pensar em qualquer coisa. A gente não conseguiu nem acompanhar direito as informações sobre a queda”, completou.
A reação da família
Segundo Francisco, a notícia de que o avião em que seu pai estava havia caído no mar de Paraty foi dada, a princípio, por seu cunhado. “Ele tinha combinado de passar um final de semana com amigos. Ontem, o meu cunhado, marido da minha irmã, viu uma notícia dando conta da queda de um avião. No grupo do WhatsApp a gente falou que era a rota que o pais estava fazendo. E ele [Teori] não olhava o celular fazia um tempo. Confirmamos que ele estava no voo”, contou.
A confirmação de que não haveria sobreviventes, no entanto, foi antecipada à família pelo próprio Supremo Tribunal Federal, segundo explicou o filho do magistrado.
Local do funeral
O velório do corpo de Teori Zavascki vai ser realizado na sede do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, em Porto Alegre, onde o ministro atuou como desembargador. “Velório no TRF, que é a casa dele, onde começou a vida como magistrado”, disse o filho Francisco.
“O pai, embora fosse catarinense, veio cedo para Porto Alegre, onde criou a família, laços profundos. É a cidade que voltaria quando se aposentasse. Ele queria voltar aqui. Todos da família estão aqui. Optamos por trazê-lo pra cá, uma cidade onde quer passar o resto da vida”, finalizou.