Proprietário do Grêmio Osasco Audax, Mário Teixeira chamou Vampeta para uma conversa na noite da última segunda-feira. Entre os assuntos abordados, estava a polêmica envolvendo o preços dos ingressos para a partida contra o São Paulo, pela primeira rodada do Campeonato Paulista – o ex-jogador do Corinthians provocou revolta nos são-paulinos ao anunciar que o bilhete mais barato custaria R$ 100. 
Segundo Vampeta, o dono do Audax não achou o preço um absurdo e até ligou para a Federação Paulista de Futebol (FPF) para saber a posição da entidade a respeito do assunto.
Depois de ouvir o parecer da federação, o executivo manteve a postura e revelou que se o São Paulo apoiar o boicote da torcida tricolor ao jogo em Barueri, será obrigado a tomar uma medida drástica. 
"gente ligou para a federação, e eles falaram que o ingresso está justonada fora do normal..Aí, o Seo Mário falou: se a diretoria do São Paulo está achando que a gente sobrevive da renda de um jogo contra eles e apoiar o boicote, a gente põe o ingresso de graça, e entra qualquer torcedor, com camisa de qualquer time... Menos com a camisa do São Paulo", informou Vampeta.
O presidente do clube de Osasco voltou a defender os preços estipulados para a estreia de Rogério Ceni como técnico – as entradas começaram a ser vendidas nesta terça-feira.
De acordo com Vampeta, a ideia de promover um boicote à partida partiu "apenas das organizadas", não tendo nenhuma ligação com a alta cúpula tricolor.
"A diretoria do São Paulo não falou nada", ressaltou. "Quem mais sabe dos preços é a diretoria do São Paulo. Parece que eu falei um preço absurdo... Vai ter São Bento x Corinthians lá em Sorocaba, e vão cobrar R$ 200 a numerada. Os preços para Audax x São Paulo são de R$ 100, R$ 120 e R$ 140. Meia-entrada vai ser R$ 50, R$ 60 e R$ 70", finalizou.